Notícias

Polícia apreende 5 toneladas de fogos de artifício em caminhão

Publicado em 06/06/2014 às 08h25

Equipes de Operações Especiais da Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreenderam 5.600 kg de fogos de artifício, transportados de maneira irregular, durante fiscalização na manhã desta quinta-feira (5). O flagrante ocorreu no km 429 da BR 116, trecho de Feira de Santana. 

 

Os policiais deram ordem de parada a um caminhão baú, onde foi encontrada uma carga que continha foguetes, rojões e bombas. Os fogos estavam sendo transportados sem a autorização do órgão competente (Exército), e com a liberação do Ibama vencida. 

Segundo a PRF, além disso, o condutor trafegava sem os trajes e sem equipamentos de segurança e dispositivos de sinalização adequados para este tipo de transporte, considerado de produto perigoso. O motorista afirmou que havia saído de Minas Gerais com destino as cidades de Muritiba, Inhambupe e Ilhéus, no recôncavo baiano, para a distribuição dos artefatos. 
 

A ocorrência foi encaminhada a Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia (Sefaz).

Fonte: iBahia

Compartilhar

Bahia: Programa do governo instala 188 cisternas em escolas

Publicado em 06/06/2014 às 08h21

Ao todo, sete cidades baianas foram beneficiadas pelo programa

 O programa do governo federal 'Água Para Todos' instalou 188 cisternas em escolas públicas do semiárido baiano. Segundo informações divulgadas nesta quinta-feira (5), ao todo, sete cidades foram beneficiadas pelo programa.

As cidades contempladas na Bahia foram Chorroró, Morro do Chapéu, Santa Brígida, Uauá, Umburanas, Mirangaba e Várzea Nova. Considerando todo o Nordeste e o norte de Minas Gerais, o programa contribuiu com a instalação de 1.531 cisternas.

"Neste ano, intensificamos o trabalho de “busca ativa”, em diferentes esferas, para levar água a toda população. As escolas certamente receberão uma atenção especial do Água para Todos”, explica a secretária de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional, Adriana Alves.
 
Fonte: Correio
Compartilhar

Bairros São Francisco e Boa Vista recebem a Prefeitura Móvel

Publicado em 04/06/2014 às 09h24

 

Nesta terça-feira (03), a Prefeitura de Irecê levou o Programa “Prefeitura Móvel” aos bairros São Francisco e Boa Vista. A ação que é coordenada pelo secretário de Infraestrutura, Edgard Mário, envolve mais de 150 pessoas do Governo Municipal, e conta com serviços de varrição, poda de árvores, pintura de meio fio, retirada de entulhos, além da operação “Tapa Buraco”.

O prefeito Luiz Pimentel Sobral acompanhou de perto os trabalhos durante a manhã desta terça-feira. “Estamos trazendo diversos serviços de Saúde, Assistência Social e infraestrutura até à população, e vamos continuar em todos os bairros e povoados da nossa cidade”, finalizou.

Acompanharam a mobilização, os vereadores Toinho do Judô, Paulinho do Destak, Margarida Cardoso e Joilton Silva, presidente da Câmara.

Fonte: Prefeitura

Compartilhar

Embasa abre inscrições para Jovem Aprendiz em Salvador

Publicado em 04/06/2014 às 09h22

A Empresa Baiana de Água e Saneamento (Embasa) abriu a seleção para o Programa Jovem Aprendiz 2014. São 168 vagas para a área administrativa da empresa, em Salvador.

Os candidatos poderão se inscrever até o dia 14 de junho no site da empresa responsável pela seleção.

As vagas são destinadas aos estudantes da rede pública de ensino que tenham nascido no período de 18/09/1998 a 18/09/2000. Outros requisitos também devem ser atendidos, como estar cursando o 8º ou 9º ano do ensino fundamental ou o Ensino Médio na rede pública; possuir renda familiar de até três salários mínimos; não ter participado de programas de aprendizagem na área administrativa em outra instituição e não ter nenhum membro da família participando de programas de aprendizagem.

O processo seletivo será realizado em duas etapas: uma por meio de provas objetivas e a outra por meio da análise do histórico escolar do último ano cursado. A prova objetiva acontecerá no dia 20 de julho.

Os aprovados no processo seletivo recebem salário, vale-transporte, assistência médica e fardamento para trabalhar.

O Programa Jovem Aprendiz da Embasa já beneficiou mais de 1.400 jovens e possibilita aos aprendizes adquirirem conhecimentos práticos e teóricos de um ofício. 

Mais informações sobre o Programa Jovem Aprendiz no site da Embasa.

Fonte: A Tarde 

Compartilhar

Irecê terá 5 dias de São João. Confira a programação

Publicado em 04/06/2014 às 09h14

Banda Calypso, Fernando & Sorocaba, Bruno & Marrone, o cantor Amado Batista são algumas das atrações

Irec-ter-5-dias-de-So-Joo-Confira-a-programao

Divulgação

A cidade de Irecê vai ter cinco dias de festa junina, entre os dias 20 e 24 de junho, com shows da Banda Calypso, Fernando & Sorocaba, Bruno & Marrone, o cantor Amado Batista, entre outros. Além das apresentações no palco principal,  denominado  Arraiá das Caraibas, tem atrações para o São João do Mercadão, com artistas locais, dentre eles Júlio Nascimento e Cristiano Neves.

Fonte: Irecê Reporter

Compartilhar

População de Lapão sofre com lixão a céu aberto

Publicado em 04/06/2014 às 09h09
Lapo-populao-sofre-com-lixo-a-cu-aberto-e-problemas-de-saneamento-bsico

Fotos: Beavis / Sertão Baiano

Daniel Pinto

Nesta terça-feira (3), após denúncias de moradores da sede e zona rural de Lapão, no norte do Estado, a reportagem do Sertão Baiano esteve na cidade para visitar o lixão público, situado às margens da BA 432, e algumas ruas e equipamentos públicos que são prejudicados por problemas de esgotamento sanitário. A primeira parada foi na Praça José Augusto, Centro, onde foi instalado uma Estação Elevatória de Bombeamento de Rede de Esgoto. “A gente sofre com o mau cheiro, insetos e com um lodo preto que sai da tubulação quando eles ligam essa fossa”, reclama Alípio Camerino, que há mais de 25 anos trabalha na metalúrgica Lapão. “O mau cheiro é constante, mas quando chove os dejetos ficam boiando pela praça”, garante Aliomar Rocha de Souza, proprietário de uma lanchonete em frente à praça, que culpa o poder público pela diminuição no número de clientes. “Quem vai querer comer com uma porcaria dessa?”, questiona.

O problema se repete nas Ruas João José da Silva e José Vilela, onde moradores - a exemplo de Eliana de Araújo Dourado e Adriano Vilela - se queixam dos transtornos causados à população. “Já reclamamos, mas a Prefeitura só faz paliativos”, denuncia Eliana, que mora com o marido no local há 30 anos. Na Rua José Vilela, a reportagem pôde constatar que a “boca de lobo”, responsável pelo escoamento da água da chuva, está entupida com areia e detritos. “Sempre foi ruim. Mas, depois das últimas obras, a situação ficou terrível. Tive que construir uma barreira na porta da minha casa. Caso contrário, o esgoto invade a sala. Infelizmente, não posso receber visitas nem cozinhar com a janela aberta”, lamenta a aposentada Aurisabete de Souza, residente no logradouro há 40 anos.

A situação é ainda mais crítica na Escola Zenalia Dourado Lopes. A reportagem do Sertão Baiano acompanhou uma inspeção da vereadora Aline Dourado (PT), que apontou uma série de irregularidades dentro da unidade de ensino administrada pela Prefeitura de Lapão. De acordo com a petista, a Administração Municipal instalou uma vala que passa pelo canto do muro da escola e desemboca num terreno particular. Além disso, dentro do mesmo espaço físico, existe uma espécie de “respiro” em que o esgoto corre a céu aberto. “Além do crime ambiental, que será denunciado ao Ministério Público, as crianças da Educação Infantil e Ensino Fundamental estão expostas ao risco de doenças infectocontagiosas”, observou Aline Dourado.

Funcionários da Escola Zenalia Dourado Lopes, que pediram anonimato, sustentam que a situação foi levada ao conhecimento das Secretarias de Infraestrutura e Educação, que fazem “vistas grossas”.

Doenças e Lixo Hospitalar 

O Sertão Baiano também esteve no lixão da cidade, que salta aos olhos de quem trafega pela BA 432, saindo da sede de Lapão em direção ao distrito de Aguada Nova. De acordo com o catador Antônio Pereira da Silva, que trabalha no local há 5 anos, em média 10 caçambas de lixo são lançadas no terreno por semana: “vem lixo de Lapão, Aguada Nova e Tanquinho [povoado]. Eles jogam resíduos doméstico, entulho, material de poda e até lixo hospitalar. Vem tudo misturado. Mas, a gente conhece o lixo do Hospital Municipal pelo saco preto e branco. Já cansei de ver seringa, gazes e outras coisas”.

A informação foi confirmada pela catadora Jovelina Alves da Silva, moradora do bairro Ieda Cardoso. “Antes eles queimavam o material hospitalar num buraco, mas agora vem tudo misturado”, afirma Jovelina, que sustenta dois filhos com o que ganha da reciclagem de ferro, papelão e plástico.

Em todo município, a Vila Castro, devido à proximidade geográfica, é a comunidade mais afetada com os poluentes que são lançados no ar pela queima do lixo. Em pouco mais de uma hora no povoado, foi possível ouvir relatos de problemas respiratórios, crises alérgicas e outras doenças que afetam crianças, adultos e até animais.

“Bosta fede em qualquer lugar, meu amigo”

Apesar das evidências e dos testemunhos, o secretário municipal de Infraestrutura, Wilson Bráulio Cardoso, minimizou a situação. Segundo o gestor, os problemas de saneamento na sede do município foram causados por intervenções “irresponsáveis” feitas pela Codevasf. “Se existe um problema de execução, a culpa não é nossa. Mas, a verdade é que bosta fede em qualquer lugar, meu amigo, seja aqui, em Salvador ou no Rio de Janeiro”, disse durante reunião que contou com a presença da vereadora Aline Dourado (PT). Quanto ao lixão, o secretário negou que o lixo hospitalar seja despejado no local. “Esse material é levado para Feira de Santana”, garantiu.

Entretanto, Wilson Bráulio Cardoso admite que o lixo recolhido em Lapão será lançado no local até a conclusão do aterro sanitário, construído pelo Consórcio Público de Desenvolvimento Sustentável do Território de Irecê, que vai atender os municípios da região. “Até lá, não temos outra alternativa. Muito pior é a Prefeitura de Irecê, que joga toda aquele lixo na beira da estrada de Itapicuru”.

Fonte: Sertão Baiano

Compartilhar

Nordeste lidera número de desempregados no Brasil

Publicado em 04/06/2014 às 09h02

Pesquisa revela ainda que a falta de trabalho atinge mais as mulheres na região. Pnad gerou polêmica e sai com servidor do IBGE em greve

A taxa de desemprego no Brasil  ficou em 7,1% no primeiro trimestre deste ano, acima dos 6,2% dos últimos três meses de 2013 e abaixo dos 8% registrados no primeiro trimestre do ano passado. O Nordeste apresentou a maior taxa de desemprego no primeiro trimestre deste ano dentre as regiões pesquisadas, com 9,3% da população economicamente ativa (PEA).

Na outra ponta, apareceu o Sul, onde o desemprego alcançou 4,3%. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgada, na terça-feira (3), pelo IBGE. De acordo com a Pnad Contínua, que substituirá a Pnad anual e a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), a taxa de desemprego entre as mulheres é maior do que entre os homens em todas as regiões do país.

Do total da força de trabalho, ou seja, da população com mais de 14 anos de idade que tem interesse em trabalhar, 7,1% estão sem emprego. Entre os homens, a proporção de desempregados é de 5,9%, enquanto entre as mulheres, é de 8,7%.

Essa diferença se repete em todas as cinco grandes regiões em que se divide o Brasil (veja tabela acima). Ainda no Nordeste, as mulheres tinham a mais alta taxa de desemprego do país, 11,4%. No Sul, chegava à mínima: 5,4%.

Como a Pnad Contínua não investiga as razões da diferença de desemprego entre homens e mulheres, não é possível deduzir diretamente se é resultado, por exemplo, de discriminação por parte dos empregadores ou por falta de qualificação das candidatas às vagas.

No entanto, desde o início da série histórica, iniciada em 2012, a diferença de gênero tem caído. No primeiro trimestre de 2012, a taxa de desemprego estava em 7,9% no país. Entre os homens, era de 6,2%, e entre as mulheres, de 10,3% – uma diferença de 4,1 pontos percentuais. Um ano depois, a diferença diminuiu para 3,5 pontos e agora está em 2,8 pontos.

Segundo analistas, o resultado da Pnad Contínua mostra um mercado de trabalho ainda mais vigoroso no total do país do que o mostrado nas seis principais regiões metropolitanas pela PME. “Pela Pnad Contínua, parece que o emprego ainda tem espaço para crescer.

O cenário fora das regiões metropolitanas, para o Brasil como um todo, ainda é favorável para a ocupação”, avaliou o economista Rodrigo Leandro de Moura, pesquisador de Economia Aplicada do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV). 

Escolaridade  

Segundo os dados da Pnad Contínua, a taxa de desocupação entre as pessoas com ensino médio incompleto era de 12,7% nos primeiros três meses do ano, enquanto, entre aqueles com ensino superior, foi  equivalente a um terço: apenas 4%. Esta é apenas uma das disparidades do mercado de trabalho no Brasil. 

No primeiro trimestre deste ano, 38,9% das pessoas em idade de trabalhar foram classificadas pelo IBGE como “fora da força de trabalho”, ou seja, aquelas que não estavam nem ocupadas nem em busca de emprego. Entre as regiões pesquisadas, o Nordeste mais uma vez se destacou com o maior percentual de pessoas nessa situação, 43,1%.

Greve atinge cerca de 22% dos servidores do país, afirma IBGE

A publicação da Pnad Contínua, na terça-feira (3), foi a primeira desde que o IBGE voltou atrás na decisão de suspender a divulgação da pesquisa, no início de abril.

A suspensão havia sido motivada por questionamentos feitos por parlamentares e tinha  como objetivo fazer uma revisão na metodologia de coleta e cálculo da renda domiciliar per capita (por pessoa). O IBGE explica que o cálculo atual prevê margens de erro diferentes para a pesquisa entre os estados, o que prejudica a comparação dos resultados.

Enquanto a Pesquisa Mensal de Emprego (PME) reúne dados de seis regiões metropolitanas, a Pnad Contínua traz o cenário do emprego em quase 3,5 mil municípios. Ou seja, a principal diferença entre a PME e a Pnad Contínua é a abrangência da pesquisa. A Pnad Contínua substituirá a tradicional Pnad anual e a PME em 2015.

Ontem à tarde, o IBGE afirmou que a paralisação dos servidores continua parcial e atingiu 18 unidades estaduais, além das Unidades da Sede, Parada de Lucas, Canabarro e Chile, situadas no Rio de Janeiro. De acordo com o órgão, a adesão foi de cerca de 22% dos trabalhadores no país. Já o sindicato estima que entre 65% a 70% dos servidores aderiram à greve.

Segundo o coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE (Coren), responsável pela divulgação da Pnad Contínua e da PME, Cimar Azevedo, não é possível prever se a greve provocará impacto nas pesquisas. Ele não descartou o efeito da paralisação no resultado das análises.

Fonte: Correio

Compartilhar

Trabalhadores com carteira assinada cresce 1,6 ponto percentual

Publicado em 04/06/2014 às 08h57

No primeiro trimestre deste ano, 77,7% dos empregados do setor privado tinham carteira de trabalho assinada, o que representa avanço de 1,6 ponto percentual em relação ao primeiro trimestre de 2013.

Entre os trabalhadores domésticos, a pesquisa mostrou que 31,4% tinham carteira de trabalho assinada, um quadro que não se alterou no ano.

Os dados constam da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) Contínua, divulgada nesta terça-feira (3/06) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os números indicam que, enquanto o Sul e o Sudeste têm os maiores percentuais de trabalhadores com carteira assinada, as regiões Norte e Nordeste detêm os maiores percentuais de trabalhadores autônomos.

O Nordeste continua na liderança como o estado com maior percentual de pessoas fora do mercado de trabalho: 43,1%.

O percentual de pessoas com carteira assinada na região Sudeste passou de 81,2% para 83,1% da população economicamente ativa (PEA), entre 2013 e 2014; enquanto no Sul variou de 83,4% para 85% - o maior percentual do país.

No Norte, este percentual passou de 63,7% para 64,6%; no Nordeste de 61,1% para 62,8%; e na Região Centro-Oeste de 76,4% para 76,9%.

Os dados da pesquisa indicam que o país contava, no encerramento do 1º trimestre do ano, com 91,2 milhões de pessoas ocupadas - cerca de 600 mil a menos do que o total de pessoas ocupadas no encerramento do 4º trimestre do ano passado (9,1 milhões); mas 1,8 milhão de trabalhadores a mais do que no 1º trimestre de 2013.

Indicam ainda que no 1º trimestre deste ano o número de desocupados era 7,8 milhões de pessoas, o equivalente a 7,1% da PEA.

O número é superior às 6,1 milhões de pessoas desocupadas no encerramento do 4º trimestre do ano passado (6,2% da PEA); mas superior a taxa de desocupação do 1º trimestre de 2013, de 7,8 milhões de trabalhadores (8% da PEA).

A pesquisa constatou que no 1º trimestre de 2014, a população ocupada era composta por 70,1% de empregados, 4,1% de empregadores, 23% de trabalhadores por conta própria e 2,9% de trabalhadores familiares auxiliares.

“Ao longo da série histórica, essa composição não se alterou significativamente”, informa o IBGE.

Segundo o órgão, todas as regiões mostram diferenças entre os níveis de ocupação para homens e mulheres. No 1º trimestre de 2014, o nível da ocupação foi estimado em 68,3% para os homens e 46,2% para as mulheres.

Fonte: Tribuna da Bahia

Compartilhar

Transposição do São Francisco pode terminar somente em 2016

Publicado em 04/06/2014 às 08h55
Transposição do São Francisco pode terminar somente em 2016; 'houve subestimação', diz Dilma
Foto: Flávio Azevedo
 
Com previsão de ser concluída até dezembro de 2015, a obra de transposição do Rio São Francisco pode ser finalizada apenas em 2016.
 
A estimativa foi feita pelo coordenador geral de Acompanhamento e Fiscalização de Obras do Ministério da Integração Nacional, Frederico Meira, em entrevista à BBC Brasil. "Vamos dizer que a gente tenha um nível de chuva, como que a gente teve neste ano, no próximo ano. Se a gente mantiver, certamente compromete o ritmo da obra", disse Meira, que considera que o atraso seja de, no máximo, três meses.
 
O prazo inicial das obras, lançada em 2007, era até 2010. O custo inicial era de R$ 4,8 bilhões, mas a expectativa é de que até o término, a transposição custe mais de R$ 8 bilhões. Em uma vistoria de um trecho dos trabalhos, em Jati, no Ceará, a presidente Dilma Rousseff assumiu que o prazo estabelecido inicialmente foi fruto de um governo “inexperiente” com uma obra desse tipo. "Houve uma subestimação da obra. Eu não acredito que uma obra dessas em outro lugar no mundo leve dois anos para ser feita", afirmou. Com informações do portal UOL.
 
Compartilhar

A Irecê que a Veja não viu

Publicado em 02/06/2014 às 09h53
A-Irec-que-a-Veja-no-viu

Fotos: Renato Sampaio / Sertão Baiano

Ao longo dos tempos, apesar da riqueza humana, artística e cultural, o nordeste brasileiro foi mantido distante do epicentro político e econômico do Brasil. Mesmo assim, conseguiu destaque em todas as áreas do conhecimento e tem contribuído com a construção da identidade nacional e com o desenvolvimento do país. Entretanto, seria ingenuidade acreditar numa sociedade com justiça social e sem preconceito. Ainda hoje o nordeste brasileiro, quando não retratado pelo aspecto folclórico, geralmente ganha notoriedade da grande mídia pelo prisma da tragédia, que superestima o “valor notícia” da violência e degradação humana. Diante desta realidade, merece atenção a iniciativa da revista Veja em lançar equipe de reportagem numa expedição pelo Brasil com a missão de revelar um país “pouco visível”. Ou, como foi descrito no site da Editora Abril, uma nação formada “por empreendedores que se dispuseram a enfrentar - e conseguiram superar - as enormes barreiras que o país apresenta aos que querem inovar, investir e competir ombro a ombro com as nações mais desenvolvidas do mundo”.

A Expedição Veja esteve em Irecê, semiárido baiano, no final do mês de maio. A vocação da cidade para o comércio e o setor de serviços foi observada pela reportagem, que destacou Irecê como principal referência para um território com 500 mil habitantes. Também não passou despercebido que a diversificação da produção agrícola foi a saída encontrada por produtores para superar a crise após o fim do ciclo de prosperidade do feijão, no final da década de 1980.

Entretanto, a Veja não viu como Irecê é mãe protetora, que acolhe os seus e aqueles que vêm de fora. Não viu como Irecê é campo fértil para todos que trazem projetos inovadores. Não viu como o povo simples de Irecê gosta de ajudar sem pedir nada em troca. Também não viu o quão Irecê é cosmopolita e sofisticada. A Veja não conseguiu ver a beleza e coragem do ireceense (natural ou de coração, como eu), que não perde a esperança e o bom humor nem mesmo durante as estiagens da vida.

A Veja não viu. Mas, também pudera: pra ver tem que viver, sentir e amar.

Fonte: Jornalista Daniel Pinto / Sertão Baiano

Compartilhar

Prefeito anuncia a pavimentação de novas ruas em Irecê

Publicado em 02/06/2014 às 09h52

 

Neste sábado, 31 de maio, Aniversário de Irecê, o prefeito Luiz Pimentel Sobral apresentou quatro novos veículos e dez motos que serão incorporados a nova frota do município. Durante a cerimônia realizada na manhã deste sábado, no Auditório do Projeto Rondon, o prefeito também assinou as ordens de serviço para construção da Rotatória do entorno do Terminal Rodoviário e para compra de uma nova ambulância. Diante de uma grande platéia, o gestor anunciou a pavimentação de mais 10 ruas da cidade, totalizando 85 ruas beneficiadas com pavimentação asfáltica. 

Durante o evento o prefeito fez a entrega de aparelhos auditivos para pacientes contemplados no Programa Saúde Auditiva. “Fico feliz em poder proporcionar uma melhor qualidade de vida para essas pessoas contempladas neste importante programa realizado em parceria com o Governo Federal”, destacou o governante.

Ao final, o prefeito falou da importância da cidade de Irecê em toda Bahia. “Nosso comércio já é destaque em todo Estado e Irecê está crescendo a passos largos. Sem dúvida, vamos realizar a melhor administração da história do nosso município”, disse o gestor. 

Fonte: Prefeitura de Irecê

Compartilhar

Confira 10 atitudes negativas que você não deve ter no ambiente

Publicado em 02/06/2014 às 09h50

Especialista destacou quais são atitudes que pesam no desenvolvimento da carreira de um profissional

A especialista em recursos humanos da VAGAS Tecnologia, empresa especialista em recrutamento e seleção, Erica Isomura, destacou dez atitudes negativas que um profissional não deve ter no ambiente de trabalho. De acordo com Isomura, passar muito tempo navegando pelas redes sociais ou agir de forma pouco diplomática, por exemplo, são atitudes que pesam no desenvolvimento da carreira de um profissional.

“Agir deliberadamente e ter pouco espírito de equipe são atitudes que pesam negativamente na avaliação de quem atua em uma empresa. É por isso que as pessoas precisam ter clareza de que o ambiente de trabalho é constituído para objetivos comuns e profissionais. Portanto, é necessário ter muito respeito com quem se convive diariamente”, explicou a especialista.

Confira dez atitudes prejudiciais ao desenvolvimento da carreira de um profissional:

1) Ficar muito tempo nas redes sociais 
Não pega bem investir tempo e energia nas redes enquanto há uma série de atividades que precisam ser entregues. 

2) Deixar o celular com toque alto 
Especialmente quando você esquece e toca aquela música muito alta e dançante. Essa atitude não é adequada: o mais indicado é que no ambiente de trabalho o celular fique na função "vibrar ou silencioso” ou com um toque mais discreto.

3) Colocar os dois fones de ouvido com música alta e ignorar o ambiente externo 
Por mais que você tenha uma atividade com pouca interação com as pessoas, o ambiente de trabalho pede contato e relações humanas. Imagine o quanto é desagradável para o outro tentar obter a sua atenção enquanto você curte sua música em alto e bom tom.

4) Defender verdades “absolutas”, desconsiderando a opinião alheia  
Você pode parecer um ditador de ideias e conceitos. Assuntos polêmicos como política, religião e futebol (opa, olha a Copa aí) merecem muito cuidado, pois facilmente um desencontro de opiniões podem acalorar ânimos e colocar em risco uma relação profissional. O debate deve ser saudável e enriquecedor para todos. Portanto, aprenda a ouvir e considerar novas ideias.

5) "Nossa você não sabe quem está saindo com o fulano, que é casado!" 
Fofoca não é legal em lugar nenhum, ainda mais no ambiente de trabalho. O que você ganha falando mal da vida alheia? Dica: se não tem nada de bom para falar de uma pessoa, não fale, simples assim. Pessoas com fama de fofoqueiro costumar ser mal avaliadas pela liderança. Portanto, não faça parte desse time.

6)  "Eu não ganho para isso" 
Esta não é uma frase tão profissional, vamos combinar? Desafios são importantes na vida, oportunidades poderão surgir frente a situações em que você "não ganha para isso". Busque fazer o melhor sempre pois o resultado vem como consequência.

7) "Sempre foi assim e você não mudará isso" 
Demonstra a dificuldade de um profissional em lidar com o novo ou para tentar compreender o que há de aprendizagem ou oportunidade além do que você consegue perceber. Uma das habilidades que se busca nos profissionais é a habilidade de ser "agente de mudança" em um cenário de constante ruptura. Dizendo isso, você certamente não estará preparado para esse novo cenário.

8) "Eu tenho razão" 
ter razão não pode ser mais importante que o resultado. Hoje prevalecem atitudes e busca por soluções. Discutir quem tem razão está “fora de moda”.

9) "Esta empresa não tem jeito, nada dá certo, tudo está errado, nunca vai mudar" 
Frases negativas como esta não dão espaço para um clima positivo de trabalho. Parece sutil, mas adotar uma postura positiva no trabalho ajuda no conforto e na resolução de problemas e  conflitos.

10) "Fulano é um babaca mesmo, aquele é um idiota" 
Disparar duras palavras ao ar demonstram imaturidade profissional e despreparo emotivo de uma pessoa. Só sai perdendo quem age dessa forma. Conflitos e divergências profissionais precisam ser resolvidas de forma equilibrada, sem partir para campo emocional/pessoal.

 

 Fonte: iBahia

Compartilhar

Dicas para ganhar dinheiro com a Copa e Dia dos Namorados

Publicado em 02/06/2014 às 09h47

Com uma coincidência de datas, a abertura do Mundial e o Dia dos Namorados serão na mesma data; especialistas ensinam como tirar vantagem e vender mais

Dia 12 de junho é data marcada no calendário dos apaixonados. No entanto, neste ano, o Dia dos Namorados coincide com a abertura da Copa do Mundo no Brasil. Como os comerciantes devem lidar com a coincidência de datas, ir bem nas vendas e não ficar no zero a zero? O iG conversou com um consultor do Sebrae-SP e um especialista em marketing da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), que explicaram melhor com lidar em uma situação como esta.

Vitrine da Imaginarium: namoro e futebol entram em campo em disputa no setor varejista; para que comerciantes não fiquem no zero a zero, especialistas dão dicas

 

Para José Carmo Vieira de Oliveira, consultor do Sebrae, o lojista pode montar vitrine para o Dia dos Namorados com uma composição do Mundial de futebol, com as cores da bandeira e frases criativas. No entanto, para Oliveira, não é necessário ficar preso somente às cores do Brasil. “Há espaço pra brincar à vontade, sem restrição alguma. Seja diferente em função dessas datas. A criatividade chama a atenção do cliente”, afirma. Montar kits de produtos também é uma boa aposta.

De acordo com o consultor, os setores do varejo que terão mais impacto com a Copa do Mundo são os de materiais esportivos, alimentação e turismo.

Na opinião de Karin Ligia, professora do curso de Administração na ESPM, “coincidência de datas comemorativas não é algo exclusivo deste ano”. Karin alerta que, se todos os estímulos são iguais – com decoração verde e amarela, por exemplo – é mais difícil se destacar em meio a tantos estabelecimentos. Para ela, “o mais indicado é que o varejista reflita sobre qual é a vocação principal do seu negócio e escolha dar maior relevância para o evento que esteja mais relacionado a essa vocação”.

A ressalva fica com o fato de que a Copa vai até julho e a outra comemoração é somente de um dia. Sendo assim, para a administradora, “é possível contemplar ações para os dois eventos em momentos diferentes, se o varejista tiver recursos “. A conexão entre as festividades também é indicada se o lojista tiver nas prateleiras produtos ligados ao mundial e que se encaixem como presente do Dia dos Namorados. Para isso, o empresário deve ficar atento ao perfil do cliente e de olho na avaliação do consumidor.

Fonte: Tribuna da Bahia / IG

Compartilhar

Pesquisa mostra que a Bahia é o estado com pior desenvolvimento

Publicado em 02/06/2014 às 09h45

Entre as 500 piores cidades do país, 182 são da Bahia, sendo que entre as 10 últimas do ranking estão Caatiba (7º) e Novo Triunfo (8º)

Os números são bastantes positivos: em um ano, 76% das cidades da Bahia melhoraram em saúde, educação e emprego. A alta no desenvolvimento foi puxada principalmente pelo aumento do número de professores com curso superior e avanços no acompanhamento de gestantes.

Ainda assim, a Bahia ainda tem muito a percorrer: entre as 500 piores cidades do país, 182 (43%) são do estado, sendo que entre as dez últimas do ranking estão Caatiba (7ª) e Novo Triunfo (8ª).

Os dados fazem parte do Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), uma pesquisa realizada anualmente pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). Em sua sétima edição, a IFDM tem como base os dados de 2011. Também nesse ano a pesquisa mudou sua metodologia para aproximá-la de estudos de mesmo teor desenvolvidos pelo mundo.

Para desenvolver as estatísticas, a Firjan utiliza informações fornecidas pelos Ministérios da Fazenda, Saúde e Educação, que repassam os dados de cada prefeitura. Por isso a pesquisa alcança todos os 5.565 municípios brasileiros. 

Resultados
Para avaliar se uma cidade cresceu, melhorou ou piorou de um ano para outro, a Firjan analisa três áreas: saúde, educação e emprego e renda. 

O índice varia em uma escala de 0 a 1, sendo que, quanto mais próximo do 1, maior o desenvolvimento, que é dividido em quatro classificações. De 0,0 a 0,4 é baixo. De 0,4 a 0,6 é regular. Entre 0,6 e 0,8 é moderado e, entre 0,8 e 1 é alto.

Na Bahia, o desenvolvimento regular em 2011  foi 3% a mais que no ano anterior. O número de cidades com baixo avanço caiu de 19,4% para 11% e o crescimento moderado subiu de 6,5% para 10,1%. A má notícia é que não há nenhuma cidade do estado com desenvolvimento alto.

Emprego e renda
Para saber como anda o mercado de trabalho em uma cidade, a Firjan analisa quantos empregos formais foram gerados, o aproveitamento da mão de obra local, a geração de renda, os salários médios e a desigualdade. 

As cidades baianas que apresentaram os melhores resultados em 2011, com nota superior a 0,8, foram Camaçari, Lauro de Freitas, Luis Eduardo Magalhães e Simões Filho, com destaque para Ibirapuã, que saltou do 30º lugar para a sexta posição no ranking de maiores IFDMs do estado.

“A chegada da agroindústria do laticínio e de usinas de álcool aumentou a oferta de empregos. Outro elemento que colaborou foi a ampliação do acesso à educação com a chegada de faculdades na região, facilitado pelo Prouni e Fies”, conta Renata Barros, chefe de gabinete de prefeitura de Ibirapuã.

Por outro lado, Feira de Santana apresentou queda expressiva, de 3º para 10º lugar. Já a cidade com pior desenvolvimento em geração de emprego e renda da Bahia é Rio de Contas (na Chapada Diamantina), com 0,1635 de nota. Em uma visão mais ampla, A Bahia sofreu com o desaquecimento da economia do país, e o reflexo foi uma diminuição de geração de emprego de 50,5%.

Saúde
Na área de saúde, Salinas da Margarida é a única com alto desenvolvimento no estado: 0,8043. “Agora tem ‘meio mundo’ de médico no hospital. Tem dermatologista, ginecologista, tem até médico de varizes, e antes não era assim. Não dá mesmo para reclamar porque em Salvador é bem pior”, diz Eliana Silva, que há 22 anos saiu da capital e hoje trabalha em uma pousada na cidade.

Em 2011, 71,9% dos municípios registraram crescimento nesse setor. O  aumento de consultas pré-natais por nascidos vivos foi ainda maior, de 81,3%. 

Várzea do Poço, na região de Jacobina, é o município que mais evoluiu entre 2010 e 2011: 42,1%, impulsionada pela alta na saúde. “Com a chegada de profissionais do Mais Médico e unidades de atendimento básico, melhorou muito. 

De resto, continua tudo ruim. Tanto que a cidade tem 50 anos e a população não sai dos 8 mil habitantes, porque os jovens, assim que se formam,  vão buscar emprego em outro lugar”, diz José Santos de Oliveira, conselheiro tutelar.

A cidade com pior índice de saúde é Itambé, no Sudoeste. “A Santa Casa de Misericórdia vive em dificuldades, com falta de profissionais. O próprio diretor precisa dar plantão”, conta Reginaldo Spinola, dono de um blog de notícias da região. 

Educação
Na Bahia, a educação foi área que mais evoluiu em relação a 2010. Das 417 cidades baianas, 87,3% mostraram índices melhores, impulsionadas, principalmente, pelo aumento do percentual de professores com ensino superior, que cresceu 82%. 

Mesmo assim, apenas 24,5% apresentaram desenvolvimento moderado, enquanto 71,2% ainda têm desenvolvimento regular e 28,3% com baixo desenvolvimento. Nenhuma cidade registrou desenvolvimento alto no IFDM 2014.  

O município com melhor índice é Amélia Rodrigues, na  Região Metropolitana de Feira de Santana - com a maior nota desde a criação do IFDM, 0,7481.

Na outra ponta aparece Caatiba, no Sudoeste, com índice em 0,2788. A Secretaria da Educação do munícipio, no entanto, afirma que a cidade “não está em mil maravilhas”, mas que tem resultados melhores que de cidades vizinhas, com salas de informática e número  adequado de alunos por turma. 

“Seriam necessários 13 anos de estagnação dos estados do Sul e Sudeste para que a Bahia alcançasse os índices registrados por eles”, diz Jonathas Goulart, pesquisador da Firjan. O jeito, então, é correr.

Fonte: Correio

Compartilhar

Mega-Sena acumula e deve pagar R$ 25 mi

Publicado em 02/06/2014 às 09h44
Mega-Sena acumula e deve pagar R$ 25 mi
Foto: Oswaldo Corneti/ Fotos Públicas
 
Nenhuma aposta acertou as seis dezenas sorteadas no concurso 1.604 da Mega-Sena realizado no sábado (31). Os números sorteados foram: 02 - 21 - 24 - 27 - 40 - 51. A Quina teve 62 acertadores e cada um vai levar R$ 35.017,62. Já a Quadra paga R$ 581,57 para cada um de seus 5.333 ganhadores. A previsão é de que a Mega-Sena pague R$ 25 milhões no sorteio da quarta-feira (4), segundo a Caixa Econômica Federal.
 
Compartilhar

43 kg de maconha e mais de 180 munições são flagradas em ônibus

Publicado em 02/06/2014 às 09h41

Veículo passava pelo de Feira de Santana quando foi abordado pela PRF.
Fiscalização ocorreu no km-429; passageiros seguiam com destino Recife.

Grupo de Operações Especiais da PRF apreende 43 Kg de maconha e munições em Feira de Santana (Foto: Divulgação/PRF)

Foram apreendidos 43 kg de maconha prensada e mais 180 munições durante fiscalização da Polícia Rodoviária Federal (PRF) que aconteceu na BR-116, em Feira de Santana, na noite de domingo (1).

O ônibus abordado viajava de Goiânia com destino ao Recife e passava pelo km-429 quando passou pela fiscalização da polícia.

De acordo com a PRF, o material estava dividido em 43 tabletes, cada um pesando cerca de 1 kg, além de 80 munições calibre 38 e 100 munições calibre 380 intactas. Os proprietários do material não foram identificados e, por isso, ninguém foi detido.

Fonte: G1

 

Compartilhar

Juízes baianos reclamam da falta de condições de trabalho

Publicado em 02/06/2014 às 09h38
  • Assembleia realizada na sexta-feira, 30, por juízes do primeiro grau

Segundo dados da Associação dos Magistrados da Bahia (Amab), um terço dos 538 juízes baianos que atuam na primeira instância não têm assessores ou servidores.

Ainda conforme a entidade, o Judiciário estadual tem 1,5 milhão de processos acumulados, só no primeiro grau da jurisdição. São cerca de 2.800 processos por ano para cada juiz, aponta a Amab.

Para tentar reverter estas estatísticas e cobrar melhores condições de trabalho ao Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), gestor do Poder Judiciário estadual, cerca de 100 juízes de primeiro grau aprovaram ontem, em assembleia que aconteceu no Salão do Juri do Fórum Ruy Barbosa,
a criação de uma campanha de valorização da categoria.

Eles reclamam da falta de servidores, da grande demanda de processos, da precariedade do sistema informatizado, entre outros problemas estruturais.

Por meio de nota, a assessoria de comunicação do TJ-BA afirma que "a presidência do tribunal, em pouco mais de três meses da nova administração, vem promovendo ações para prestar melhor serviço ao cidadão".

"A presidência considera o interesse dos juízes como um benefício para o avanço da luta em defesa de um Poder Judiciário vigoroso, pleno e fortemente vinculado aos princípios da democracia e da República, levando em alta conta o conceito de 'direitos e deveres iguais para todos'", diz trecho do texto.

De acordo com Marielza Franco, presidente da Amab, a principal crítica dos magistrados é ao "benefício" dado pelo TJ ao segundo grau. Conforme a juíza, as medidas em prol da moral adotadas pela gestão do presidente Eserval Rocha são aplaudidas pelos magistrados. "Os problemas dos quais reclamamos são os estruturais. Concordamos com as medidas moralizantes", especifica Marielza.

Mobilização

Segundo a juíza substituta Carla Ceará, que coordena a idealização da campanha de valorização dos magistrados junto a uma agência de publicidade, o objetivo é sensibilizar a população. "Precisamos da população como aliada, até porque ela não nos vê com bons olhos", considera.

O slogan da campanha, "A Justiça pede socorro", tem o objetivo de chocar, afirma a juíza. Em breve, segundo a Amab, veículos de TV, rádio e outdoors estarão estampando o apelo da categoria.

No dia 23 de julho, os juízes organizarão um evento na frente do Fórum Ruy Barbosa, onde darão orientação jurídica à população. "Será um serviço de informação sobre varas do Consumidor, Infância, de Família, Criminal", detalha a presidente da Amab.

A data, chamada de "dia de mobilização" pela associação, "visa tornar público a situação vivida pelo Judiciário", afirma a juíza Carla Ceará.

 

Presidência do TJ-BA destaca 35 medidas já adotadas

Um documento enviado pela assessoria de comunicação do TJ-BA ao A TARDE lista 35 medidas de melhorias tomadas pelo presidente da Corte, Eserval Rocha.

Entre elas estão muitas de contenção de gastos, como bloqueio de 92 linhas telefônicas corporativas, redução do número de carros de serviço, estabelecimento de meta de redução de 30% de cargos comissionados, decreto regulamentando gestão de gastos com pessoal, além de 20 reformas ou construção de fóruns e tribunais no interior do estado, incluindo a estrutura da Câmara do Oeste.

Resolução

A resolução nº 194/2014 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) instituiu, em maio, a Política Nacional de Atenção Prioritária ao Primeiro Grau de Jurisdição, que  tem como objetivo “desenvolver, em caráter permanente, iniciativas voltadas ao aperfeiçoamento da qualidade, celeridade, eficiência, eficácia e efetividade dos serviços judiciários da primeira instância dos tribunais brasileiros”.

Este é o principal argumento utilizado pela Associação dos Magistrados para cobrar do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) as reivindicações apresentadas.

Das medidas expostas pelo TJ-BA,  parte é criticada pelos magistrados filiados à Amab. Segundo a presidente da entidade, Marielza Franco, a construção da Câmara do Oeste, por exemplo, será alvo de uma Ação de Inconstitucionalidade (Adin), a ser entregue no Supremo Tribunal Federal (STF).

“Não somos contra a câmara, mas ela não é prioridade neste momento. Além da criação da câmara, extingue 34 varas de 1ª instância na capital e cria 34 varas no 2º grau”, reclamou a juíza.

Fonte: A Tarde

Compartilhar

Inscrições para Enem terminam sexta-feira

Publicado em 22/05/2014 às 09h23

Os estudantes que pretendem fazer o exame, em novembro, devem se apressar. As inscrições terminam depois de amanhã. Confira as possibilidades que a prova abre para quem cursa ou já cursou o Ensino Médio

Como se não bastasse a rotina do curso de Arquitetura na Universidade Federal da Bahia (Ufba), a estudante Maria Clara Cardoso, 26 anos, se divide diariamente entre dois estágios, lazer e família.

O cronograma já apertado da estudante está prestes a se tornar ainda mais concorrido: Maria Clara se inscreveu para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e espera conseguir a transferência de turno do seu curso, aumentar o escore, além de pleitear uma vaga de intercâmbio pelo programa de pós-graduação sanduíche da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) ou do Ciência sem Fronteiras (CsF).

Maria Clara deixou para se inscrever no Enem na última hora: a prova será ‘passaporte’ para um intercâmbio (Foto: Almiro Lopes)



“A correria do dia a dia é grande e, apesar de já estar decidida a fazer a prova desde o início do ano, só consegui me inscrever agora”, conta Maria Clara, uma das ‘candidatas de última hora’.
A jornada para a jovem não será fácil: longe há seis anos dos conteúdos de nível médio, ela já começou a reunir o material de estudo da irmã,  que prestou vestibular há dois anos. “No momento, estou nesse dilema. Não sei como me preparar, estou perdida nesse novo sistema de pontuação”, relata a estudante.

Quem, assim como ela, está de olho em pelo menos uma das possibilidades oferecidas pelo exame nacional está na hora de correr: as inscrições para o Enem 2014 terminam às 23h59 da próxima sexta-feira (23). 

Segundo o Ministério da Educação, até as 17h20 de ontem, 5.234.113 pessoas já estavam inscritas para a prova em todo o Brasil. Na Bahia, o quinto estado com o maior número de inscrições (fica atrás de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e, surpreendentemente, do Ceará), o balanço era de 383.872 candidatos.

Para evitar a tradicional correria da última hora, a recomendação do Ministério da Educação (MEC) é se inscrever com antecedência e em horários com menor fluxo de acessos ao sistema: antes das 9h, das 14h às 17h e após as 21h. Depois de inscrito, o candidato tem até o dia 28 de maio para pagar o boleto, no valor de R$ 35, somente no Banco do Brasil. A exceção fica por conta daqueles que têm direito ou conquistaram a isenção. 

“Nós estamos fazendo agora uma média de mil inscrições por minuto. À  noite, provavelmente, ficaremos um pouco acima. Estamos preparados para muito mais, mas, é lógico, para o candidato e para nós também,  que não é bom deixar para a última hora”, afirma o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), José Francisco Soares. Responsável pela coordenação do exame, ele alerta que as inscrições para o Enem não serão prorrogadas.


 
Possibilidades
Quando foi aplicado pela primeira vez, em 1998, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) tinha apenas um objetivo: avaliar a qualidade do ensino médio nas escolas brasileiras. Hoje, 16 anos depois, quem se submete à prova vislumbra sete possibilidades: ingresso no ensino superior por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), pelo Programa Universidade para Todos (Prouni), participação no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e acesso às vagas gratuitas do Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec).

Quem já cursa a universidade ou já concluiu o ensino superior pode tentar uma vaga no Programa Ciência sem Fronteiras (CsF), além de participar de seleções para bolsas de pós-graduação sanduíche da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Já aqueles que têm mais de 18 anos e ainda não concluíram o ensino médio podem tentar usar o rendimento no Enem para garantir a emissão do certificado de conclusão, uma espécie de supletivo.

Marinheiro de primeira viagem, o estudante do 3º ano do ensino médio Vítor Ribeiro, 17 anos, vai tentar o Enem pela primeira vez mirando uma vaga do curso de Engenharia Mecânica. Vítor se antecipou e fez sua inscrição logo no primeiro dia. “Assim que foram abertas as inscrições, eu fiz a minha. Ouvi uns boatos sobre problemas no sistema do site e me adiantei para não acabar prejudicado”, comenta.

Para o estudante, apesar da preparação, a prova é imprevisível, o que leva o candidato a ficar mais atento às possíveis surpresas. “O perfil da prova não é muito bem definido, mas estamos nos preparando. Eu acho o Enem relativamente fácil, porém (a prova) é bastante longa e cansativa”, avalia o rapaz.



Números
O presidente do Inep, José Francisco Soares, diz que a meta estabelecida, de 8 milhões de inscritos, está no radar. “Estamos fazendo uma média de 700 mil inscrições por dia, mas, este ano, são 11 dias. No ano passado, foram 15. Eu prefiro esperar que o aluno que precisa do Enem seja inscrito e não que a gente bata um recorde. É um programa para inclusão”, aponta.

Quando foi aplicado pela primeira vez, em 1998, o Exame teve pouco mais de 157 mil inscritos. Em 2001, foi alcançado o primeiro milhão (1,6 milhão) e, somente em 2004, houve queda no número de inscritos com relação ao ano anterior.

Desde que foi reformulado, em 2009, o exame tem inscrito número maior de 3 milhões de candidatos e, no ano passado, chegou aos 7,1 milhões de inscritos. Para José Francisco Soares, a procura pelo Enem aumenta de acordo com as possibilidades.

“O Enem, hoje, abre um leque. O mais importante é o acesso à universidade. Com um único exame, a pessoa pode se candidatar, mas não é só isso. Se você for observar, 40% dos estudantes que estão em universidade privadas têm financiamento público (Fies). Agora tem o Capes, que a gente chama de graduação sanduíche, e o Ciência sem Fronteiras, que está sendo muito procurado”, enumera Soares.

Incentivo
Em escolas da rede estadual de ensino da Bahia (que até ontem tinha menos inscritos que o Ceará) já há uma campanha de incentivo para que os estudantes se inscrevam. Na Escola Estadual Senhor do Bonfim, nos Barris, a diretora, Andreia Sarraf, conta que disponibilizou o Centro Digital da unidade para que os estudantes se inscrevam na própria escola. “Os meninos que tenham alguma dificuldade em casa, a gente faz a inscrição aqui na própria escola. Tem um funcionário que fica no centro digital e ajuda os alunos a fazerem a inscrição”, explica a diretora.

Segundo ela, ainda assim, há  estudantes que deixaram a inscrição para a última hora. Para evitar que alguém fique de fora, a diretora da escola diz que posta o link para as inscrições diariamente na página da escola, no Facebook. Ela também visita todos os dias as oito turmas de 3º ano, que somam cerca de 280 estudantes. “Tem sempre alguém que deixa para a última hora, mas a gente vai aproveitar amanhã (hoje) e quinta-feira para fazer as últimas inscrições”, garantiu.

Fonte: Correio

Compartilhar

MEC autoriza criação de 34 cursos universitários

Publicado em 22/05/2014 às 09h18

Entre os cursos está o tecnológico de Logística em Santo Antônio de Jesus, na Bahia, que irá oferecer 160 vagas por ano

O Ministério da Educação (MEC) autorizou o funcionamento de 34 cursos de graduação em instituições privadas, entre eles o curso tecnológico de Logística em Santo Antônio de Jesus, na Bahia, que irá oferecer 160 vagas por ano. As portarias foram publicadas, na quarta-feira (21), no  Diário Oficial da União. Serão mais de quatro mil vagas anuais.
Entre os cursos que serão oferecidos estão Arquitetura e Urbanismo, Administração, Pedagogia, Enfermagem, Educação Física, Engenharia Civil e Engenharia de Produção. A maior parte dos cursos está nas regiões Sudeste e Nordeste.

Para serem autorizados, os cursos devem preencher uma série de requisitos quanto ao projeto pedagógico, corpo docente e infraestrutura, e ainda passar por uma visita do ministério no local. O MEC também reconheceu 50 cursos de graduação de instituições públicas e privadas. O reconhecimento é necessário para a validade nacional dos diplomas dos estudantes.

As portarias com a lista dos cursos reconhecidos foram publicadas na mesma edição do Diário Oficial. Na semana passada, o MEC autorizou a abertura de 420 vagas para oito cursos de Medicina em universidades federais

Fonte: iBahia

Compartilhar

Lei da Palmada é aprovada na CCJ da Câmara

Publicado em 22/05/2014 às 08h58
Lei da Palmada é aprovada na CCJ da Câmara
Foto: Divulgação
 
Após dois anos de tramitação na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, foi aprovado na noite desta quarta-feira (21) no colegiado, o projeto de lei que altera o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e proíbe a aplicação de castigos físicos a crianças e adolescentes. 
 
Chamada até então de Lei da Palmada, o projeto seguirá para o Senado com o nome de Lei "menino Bernardo", em homenagem ao garoto Bernardo Boldrini, assassinado no Rio Grande do Sul. Passado o debate acalorado da sessão promovida pela manhã e a presença da apresentadora Xuxa Meneghel, a bancada evangélica - que vinha obstruindo a votação do projeto nos últimos anos - cedeu e houve um acordo para a alteração do texto final. O relator Alessandro Molon (PT-RJ) acrescentou apenas à definição de castigo a expressão "que resulte em sofrimento físico ou lesão" à criança ou ao adolescente. "Não queremos que as crianças sejam espancadas e tratadas de forma humilhante, seja com castigo físico ou não", disse o relator. 
 
O entrave era a bancada evangélica, que temia a "interferência" da legislação na educação familiar. O relator enfatizou que a proposta não prevê sanções aos pais por usar métodos punitivos na educação dos filhos, apenas encaminhamento dos pais denunciados ao Conselho Tutelar para orientação e, no máximo, advertência. Na avaliação do petista, a presença de Xuxa pela manhã foi decisiva para a aprovação do texto. O caso Bernardo Boldrini também ajudou a sensibilizar os parlamentares, por isso o nome da lei foi alterado. Os deputados fizeram questão de retirar da lei o sobrenome do pai do garoto. "Não seria possível, exatamente numa lei que seria para evitar casos como esse, incluir o sobrenome de quem eventualmente tenha participado dessa tragédia", justificou o relator.
 
Compartilhar

Arimo fwR bsd b04s uppercase|bsd left uppercase b03s|Arimo left show fwR bsd b03s normalcase|||image-wrap|login news bsd fwB b01 c05 sbse|b01 c05 bsd|b01 c05 bsd|login fwR||b01 c05 bsd